Um jogo de 55Mb, em preto e branco, sem texto nem menus, poucos sons, feito por uma pessoa. Este é Hook, um puzzle bem diferente com um design super elegante e minimalista.

hook

Você aprende a jogar, jogando. Nenhum tutorial é necessário. Quando um círculo grande é clicado, emite uma espécie de sinal invisível, percorrendo a linha até chegar em uma (ou mais) barra escura, que será “encolhida”, desaparecendo. Seu objetivo é eliminar todas as barras; mas se uma raspar em outra enquanto é encolhida, game over.

fase1

Entre os botões e as barras, no meio das linhas, podem surgir conectores que giram se o jogador clicar, bifurcadores do sinal, e antenas de “rádio” que fazem o sinal passar para qualquer outra antena do mesmo tipo.

É um jogo estranho de descrever, parece complicado, mas é tudo muito simples quando se está jogando. Estes elementos mais variados de gameplay vão surgindo aos poucos, o jogo tem uma condução do jogador perfeita pelo level design.

fase2

Sem falar da elegância: todos os elementos do puzzle então em uma tela fixa, é só clicar nos botões ou conectores e ir resolvendo as fases. Não tem pontos para conquistar, upgrades ou nada parecido. Tudo muito minimalista. Nem menu de opções… Ao entrar ele já começa na última fase jogada, apertando ESC sai imediatamente. É tão simples que seja a ser grosseiro neste sentido…

fase3

É curto (50 fases rápidas) mas barato. Um ótimo exemplo de como um programador criativo, usando arte simples, pode criar uma experiência bem interessante, eu gostei muito. Não é difícil, é só prestar atenção e ir aprendendo com os próprios erros.

Uma boa inspiração para criadores independentes, especialmente aqueles que reclamam “eu não sei fazer arte”… Com um bom design a arte é secundária.

Obs: tem um protótipo dele no Kongregate, mas a versão completa é muito melhor.

Está disponível para Android e PC via Steam, custando só R$2,19.