game_seeds_title

Mais uma ferramenta para ajudar na criação de ideias de jogos: Game Seeds!

É um baralho feito pela Utrecht School of the Arts (Holanda) que propõe um conceito diferente: primeiro criar um personagem principal, depois um personagem secundário (sidekick) e por fim um jogo que os use.

 

Funciona assim:

 

Preparação:

  • Divida os “jogadores” em 2 grupos, com no máximo 6 pessoas por grupo (mas funciona com menos, tem até uma variação com 2 jogadores somente).
  • Embaralhe as cartas e distribua 6 para cada grupo.
  • Cada grupo escolhe uma das cartas que recebeu e passa as restantes para o outro grupo, que faz o mesmo.
  • Esse processo é repetido até que todas as cartam sejam escolhidas.

game_seeds

 

Fase 1 – Criar um herói (duração 10 mins)

 

  • Cada carta tem desenhos no topo que definem o perfil de um personagem (espécie, sexo, tempo, estilo de vida, peso, altura) e atributos (força, saúde, destreza, inteligência, sabedoria, carisma) que estão escritos na base. O grupo deve anotar as características que mais aparecem nas cartas (se empatar algum, escolhe livremente) e então criar um personagem baseado nisso. (ex: se 4 cartas dizem que o personagem será um ser humano, 2 dizem que será um monstro, ficou definido que ele será humano, e assim por diante…) 006_seeds

game_seeds_card2

  • Em 10 minutos cada grupo deve criar um personagem, uma descrição geral dele, contendo nome, personalidade, o que gosta e não gosta, além de habilidades especiais.
  • Então alguém do grupo deve apresentar o personagem criado para o outro grupo.
  • Depois que ambos apresentaram, os personagens serão trocados entre os grupos. De agora em diante o personagem oficial de um grupo é o que o outro criou e vice-versa.

 

 

Fase 2 – Criar um sidekick (individual – duração 5 mins)

  • Cada membro de cada grupo deve criar livremente um personagem secundário (sidekick) que seja o companheiro perfeito do personagem principal do grupo. O ideal é que as fraquezas e vantagens de um sejam compensados pelo outro.
  • Deve ser feita uma breve descrição, com perfil, atributos, personalidade, semelhante a forma que foi criado o personagem principal (mas sem usar as cartas).
  • Quando acabar o tempo, cada membro de um grupo apresenta o seu personagem para o outro grupo.
  • Então cada grupo vota no melhor personagem criado pelo outro grupo (sugiro que todos do grupo A apresentem os personagens, então imediatamente o grupo B vota e escolhe o melhor. Após, o pessoal do grupo B apresenta, e o A vota. Funciona melhor do que todo mundo apresentar de ambos os grupos, pois na hora da votação já podem ter esquecido dos primeiros).
  • Os criadores dos melhores sidekicks (um de cada grupo) serão os finalistas.

 

Fase 3 – Criação de uma ideia de jogo (finalistas ou todo mundo – duração 5 mins)

  • Pela regra oficial cada finalista deve criar uma ideia de jogo que utilize o personagem do seu grupo e o sidekick que criou. Porém eu acho mais interessante permitir todo o grupo criar, não tem sentido deixar só uma pessoa fazer sem ajuda dos outros.
  • Na parte central das cartas há um conceito básico de gameplay, elas podem ser escolhidas livremente para inspirar a criação do jogo. Pode pegar até cartas que não foram distribuídas no início e estavam no resto do baralho.
  • A criação é totalmente livre, pode usar uma carta como gameplay central e outra como gameplay secundário (uma segunda atividade não principal no jogo), criar um conceito misturando elementos de várias cartas, etc…

Clique na imagem abaixo para ver com mais detalhes, conceitos de gameplay das cartas:

illustraties_A1

  • Pela regra oficial os finalistas iriam apresentar seus jogos e os outros jogadores votariam na melhor ideia para escolher o vencedor. Mas usando este sistema do grupo todo criar o conceito, daria para finalizar com as apresentações e cada grupo chegando num consenso se ainda preferia sua ideia ou se gostou mais da outra, elegendo o vencedor. Ou ignore essa questão de vencedor; apresentam as ideias e pronto.

 

 

Já testei esse sistema algumas vezes e os resultados foram interessantes. Geralmente são engraçados pois as pessoas costumam criar inventando coisas divertidas e o produto final é bizarro. Não sei se as ideias seriam plenamente implementáveis, mas são um ponto de partida, é um exercício de criatividade muito bom.

Com o conceito da ideia feita, pode aplicar o baralho de lentes do The Art of Game Design e seguir polindo o design.

 

Game Seeds é um sistema simples e divertido, não dá para levar muito a sério como uma solução super eficiente para criação de ideias, mas é mais uma ferramenta no arsenal do designer. Vale a pena experimentar.

 

Este é o vídeo oficial que explica como o sistema funciona, apesar de ser um tanto esculhambado…

 

E o site onde o baralho pode ser comprado: http://www.gameseeds.net/ (no momento desta publicação está esgotado)