Imagine que você está na cidade virtual de GTA. Você quer seguir a história, continuar fazendo as missões. Porém não há nenhum mapa para indicar onde ir. Este “pequeno” detalhe não atrapalharia completamente a experiência? Pois é… foi quase isso que aconteceu no SBGames 2013.

palestra

Para minha surpresa (e de todo mundo), não havia o programa / cronograma do evento impresso dentro do material dos inscritos… era uma espécie de bolsa de plástico com caneta, folder da universidade (marketing) e um boton. Sem mapa, sem informação de onde ir, sem sequer o clássico bloco de anotação que é padrão em qualquer simpósio.

Para tentar resolver o problema havia um aplicativo para celular com o cronograma (mas quem não tem smartphone ou está sem bateria ou tem problema de acessar wi-fi local?), além de um computador para acesso do site no auditório principal. Porém as informações eram insuficientes, tinha uma ilustração aérea do campus com marcações de prédios, mas era complicado localizar, pois o desenho era um pouco inclinado, não dizia o que era cada prédio, não havia sinalização física no lugar (nem fora da sala dizendo que ali está ocorrendo tal trilha), no máximo uns pequenos banners na frente de alguns prédios (facilmente obstruídos pelos alunos circulando no campus); para saber o andar ou sala que estava acontecendo o evento, somente perguntando aos seguranças. E algumas trilhas do SBGames eram em prédios fora do campus, precisando atravessar a rua, tudo bem espalhado. Sem falar que algumas palestras não tinham a indicação do local, outras as salas foram trocadas, e nem era informado o resumo do assunto (no caso dos keynotes), somente uma pequena biografia do autor. Porém só saber a graduação da pessoa pode não dar pistas suficientes sobre o que ela irá falar…

 

Gosta de um adventure bem acessível como MYST ?mapa

Enfim, a falta de sinalização no campus e nas salas, além do cronograma não ser impresso e não ter informações suficientes, deixou muita gente perdida e decepcionada. Eu considero absolutamente fundamental ter o programa na mão, é comum no meio de uma palestra já ir verificando o que verá depois, anotar, riscar o que não interessa, o programa de um evento é sempre seu melhor amigo…  Tudo isso me decepcionou bastante e acabei não aproveitando como poderia. Sem falar de salas pequenas lotadas; o evento já tem proporções grandes e as salas especialmente da trilha da indústria precisam comportar uma grande parcela dos inscritos.

 

Depois de tantos anos de estrada o evento já ganhou um tamanho e importância considerável na área de produção de jogos no país, e erros básicos como sinalização ruim (ou quase inexistente) e cronograma não completo nem amplamente distribuído, já podem ser considerados falhas inadmissíveis. Um aplicativo de celular pode ser um bom extra, mas jamais substitui o programa em mãos, com um mapa eficiente da localização das salas!

 

Mas claro que um evento desse tamanho é complexo de organizar, pois envolve muitas pessoas e ocorre dentro de uma universidade (deve obedecer suas regras), então problemas podem acontecer. O que importa é que isso não volte a ocorrer futuramente.

 

Festival indie e mostra de artes

fest-indie

fest-indie2

Bem, no próximo ano é com a gente (Porto Alegre-RS) e faremos tudo que for possível para não deixar ninguém perdido. A intenção é que todo o evento ocorra em um prédio só, o que elimina muitas destas questões. Mesmo assim sinalização no lugar é extremamente importante.

 

Voltando ao simpósio deste ano, apesar das confusões, houveram pontos positivos. O festival independente está conquistando uma boa maturidade, as regras estão se mantendo de uma versão para outra, com melhorias. Agora contou com várias fases de avaliação dos jogos, envio de feedback para os autores, etc. A quantidade e qualidade dos jogos continua crescendo, e o conceito de “indie” utilizado atualmente permitiu premiar grandes projetos nacionais que merecem destaque como DungeonLand e Ballistic.

indie2

indie-board

Enfim, apesar dos problemas é sempre importante comparecer no evento, rever as pessoas que tentam estimular esta área no Brasil, e sempre pegar uma ideia nova aqui ou ali. Mesmo que o nível geral das palestras e trabalhos seja de médio a fraco, é importante participar e ver o que as pessoas estão fazendo, dar opiniões, reconhecer a nossa produção nacional de pesquisas e tecnologia. Pode não ser tão boa quanto a gente gostaria que fosse, mas o caminho para crescer é esse, continuar e melhorar sempre. Também não podemos reclamar de trabalhos fracos se não enviamos algo melhor, não é mesmo?

 

Como falei antes, em 2014 será em Porto Alegre, e estarei envolvido na organização do festival indie. Iremos trabalhar para que o evento mantenha as coisas boas deste ano e evite os problemas… Espero que tudo dê certo, pois nossa comunidade de desenvolvedores merece um simpósio cada vez maior e melhor. Depois da fantástica edição de Brasília as expectativas subiram muito e não podemos deixar cair. Já houveram muitos SBGames problemáticos no passado e acho que essa era precisa acabar de uma vez por todas… Espero que em 2014 o evento agrade a todos, veremos!

 

Quem tiver ai jogos, arte, artigos, já comecem a se preparar desde agora, e participem.

Neste ano ajudei a avaliar a mostra de artes (além dos jogos) e sempre a participação do envio de artes é muito tímida. Acho que todo mundo que submete jogos para o festival também deveria pegar a arte utilizada e mandar para o festival de arte, uma amostra deveria alimentar a outra. Fica a dica.

 

Vencedores do festival indie

indies

Confira aqui a lista completa dos vencedores:

http://www.sbgames.org/sbgames2013/festival/post.php?postId=957

 

Divulgando os jogos do pessoal da Unisinos:

 

Little Red Running Hood

– 1º lugar na votação de melhor jogo pelo aspecto visual – Categoria Mobile, escolha do juri
– 1º lugar na votação de melhor jogo pelo aspecto sonoro – Categoria Mobile, escolha do juri
– 2º lugar na votação de melhor jogo – Categoria Mobile, escolha do juri
– 3º lugar na votação de melhor jogo pelo aspecto de game design – Categoria Mobile, escolha do juri

 

Rufus and the Magic Mushrooms
– 3º lugar na votação de melhor jogo desenvolvido por estudantes – Escolha do juri
– Escolha da Nokia como melhor jogo Windows Phone participante

 

Albert´s Adventure: Energy

 

Você tem alguma sugestão para o festival de 2014? (ou para o evento em geral?) Fale ai!

sbgames2014