Neste sábado participei do GMB como finalista na categoria jogo indie.

Não ganhei o prêmio de melhor jogo, mas tive o privilégio de ir ao evento com viagem e hospedagem paga pela produção, então já valeu a pena ter participado!

 

Estava por fora do cronograma, não sabia o que iria acontecer além das premiações (melhor trilha, banda e indie). Fiquei surpreso ao descobrir que havia a orquestra sinfônica Villa Lobos e que seria regida pelo Lucas da Família Lima, além da participação do Tommy Tallarico (criador do VGL – VideoGamesLive), apresentando o compositor da Blizzard (um dos convidados especiais do VGL deste ano) para o povo. Também seria tocada a trilha do jogo Bodycount (com o compositor presente) e apresentações das bandas que estavam concorrendo ao prêmio.

 

Eu sabia que a feira Brasil Game Show estava acontecendo no mesmo dia, mas não imaginava que seria no mesmo prédio que o GMB. Que por sua vez era o mesmo local do VGL… Ou seja, no centro de convenções Sul América todos os eventos de jogos e música estavam juntos: no andar de baixo o BGS, no de cima o GMB (no sábado) e o VGL (no domingo).

 

Pois bem, voltando ao evento, realmente o que me surpreendeu foi o medley (uns 20 mins) escrito e regido pelo Lucas Lima. Muito bem feito, com direito aos vídeos de jogos sincronizados no telão, exatamente como no VGL. Se quisesse, ele já estaria pronto para fazer um concerto inteiro sozinho, com total competência! Ótima concorrência ao VGL🙂

Não sabia que ele é gamer, que até tem uma cadela chamada Zelda, e já fez trilhas para jogos profissionalmente. É uma pessoa extremamente simpática, do tipo que fala com alguém que nunca viu antes como se já fosse um amigo antigo. Outra grande surpresa foi a Sandy (sua esposa) ter aparecido para conferir o show. Eu até poderia imaginar que poderia encontrar pessoalmente o maestro do VGL, além do compositor da Blizzard, mas a Sandy?? Surreal!

 

O mais legal do evento foi conhecer muita gente boa, não só os famosos, mas todo pessoal das bandas, criadores indie, todo mundo que participou desta festa musical dos jogos e compartilha a mesma paixão. O Brasil precisa cada vez mais de eventos como esse, para dar visibilidade a este mercado que tem muito a crescer por aqui. Ainda mais sobre áudio que até agora não tinha um evento específico que representasse esse tão importante aspecto na produção de um jogo.

 

 

Tommy Tallarico (compositor que criou e apresenta o VGL, e primo do Steven Tyler do Aerosmith!) e Russell Browser (diretor de áudio da Blizzard, compositor da trilha do WoW, vencedor de três Emmy)

tommy

russel

 

Lucas Lima e sua esposa… Confira um trecho do medley dele abaixo.

lucas

sandy

 

Apresentando meu jogo (ao lado do PC Siqueira que “conduziu” o evento) e o pessoal da categoria indie. O vendedor foi o casal da esquerda – Amora e Pedro Medeiros – com o jogo Talbot’s Odyssey.

apres

indies

 

 

Porém…

The Dark Side:

 

Bem, houve inúmeros problemas por parte da organização do evento. Temos que dar um desconto pois é a primeira vez que ele ocorre, mas melhorias precisam ser feitas para a próxima versão (se for anual de agora em diante) ser mais profissional.

Houve um atraso de 2h para começar, além de um grande stress para conseguir rodar os vídeos dos jogos indie e das trilhas (os finalistas tiveram que meter a mão na massa e com muita boa vontade resolver os problemas), afinal não foi informado o formato de vídeo correto que deveria ser feito para funcionar de acordo com o equipamento que planejavam usar para exibir os vídeos no telão.

Para ter uma idéia, o notebook usado para exibir os vídeos foi emprestado pela banda que era finalista do festival, depois de horas de luta para converter vídeos para tentar rodar em um DVD player comum… Um monte de correria que não precisaria ter acontecido se tudo tivesse sido planejado e informado corretamente. Com isso muita gente que estava lá como convidado acabou tendo que trabalhar e se estressar sem necessidade, sem nem conseguir descer para ver a feira BGM do andar de baixo (ou sair para almoçar…).

No momento da apresentação das bandas, cada uma precisava entrar no palco, montar o equipamento, testar som… um enorme tempo de espera para tocar uma música de poucos minutos e então tudo se repetia para a próxima. E uma delas teve um grave problema de som, ficando prejudicada. Deveria tudo ser testado com calma antes para só se apresentar na hora. Todo pessoal participante chegou cedo e queria deixar tudo testado perfeitamente, mas com as correrias de última hora da “organização”, nada disso ocorreu.

 

Outra coisa, as regras do jogos indies não estavam bem definidas. Era necessário jogo com arte original? Com ou sem financiamento? Jogo de plataforma mobile competir com pc? Mesmo júri para jogos e trilhas? Votação ao vivo (só pelo vídeo apresentado) sem ter como avaliar o jogo com cuidado previamente? (de acordo com um jurado que falei pessoalmente foi assim que ocorreu). E qual o propósito de ter um júri ao vivo se não dá um feedback ao autor? Seria importante ter mais uns minutos para a parte da premiação, falar, perguntar, comentar o jogo para o autor saber o que agradou ou não. Isso pode ser mais valioso do que o prêmio…

 

O sistema de votação pelo site sempre é falho. Ganha quem consegue convencer mais amigos a votar, ou tem mais paciência de registrar e votar pelos amigos. O ideal é que o júri escolha por mérito, mesmo que haja dezenas de jogos… É assim que fazemos no SBGames, testamos um por um para ver se funcionam e depois repassamos para os jurados, com um prazo bom para avaliar.

Também nas trilhas, pessoal que fez releitura de temas clássicos ou outros que criaram uma música do zero, seja para um jogo que já existe ou não, ficaria tudo misturado? Quem sabe criar categorias ou definir com regras como deve ser para a comparação ficar mais justa.

(lembrando que tudo isso não saiu só da minha cabeça, é a soma de muitas reclamações que ouvi lá)

 

Enfim, espero que resolvam estes problemas no futuro para profissionalizar o evento, e que ele continue a cada ano, criando um importante espaço para o pessoal que trabalha com jogos e música, além de dar oportunidade ao público de curtir um show de game music (sem esquecer dos jogos indies!). Afinal só o VGL é pouco!