Feito por: The Sales Curve

Ano: 1993    (PC)

Filmes criados a partir de jogos de sucesso tem vários por ai (Tomb Rader, Resident Evil, Silent Hill), mas filmes que usam jogos como base da história, tem poucos.

Quem se lembra dos filmes antigos que tratavam de jogos ? Filmes onde algum jogo era importante para a história. Lembram do clássico The Last Starfighter (O Último Guerreiro Das Estrelas) ? A história era simples e incrível (pelo menos em 1984 era…), aliens colocaram na Terra uma máquina de arcade para recrutar o melhor jogador em uma batalha espacial (mas sem avisar isso, óbvio). O herói era uma pessoa comum que tinha o record de pontos neste jogo. Então um belo dia ele foi “convidado” para pilotar uma nave para os E.T.s, que por sinal tinha um controle de tiro igual ao jogo. Bom método de recrutamento, hein?

O curioso é que esse filme foi um dos primeiros a usar efeitos 3D criados por computador. Antes dele o que se costumava usar era só maquete física. Para fazer as cenas em CG, foi usado um supercomputador Cray X-MP.

 

 

Aliás, para a versão HD-DVD do filme, foi feito um documentário sobre a recriação (real) do jogo que é visto na história. Para este projeto foi refeito o gabinete da máquina e criado um jogo muito parecido com o que é visto na produção. Nesta pagina inclusive pode ser feito o download. (mas não é grande coisa…)

Bem, outro filme antigo que tratava um pouco sobre jogos, (era mais diretamente sobre realidade virtual), é The Lawnmower Man (O Passageiro do Futuro)

[não quiseram traduzir como O Jardineiro 🙂 ]

Uma curiosidade: este filme usa elementos de um conto do Stephen King (do mesmo nome do filme), mas King ficou tão decepcionado com o resultado da produção que processou os autores para retirar seu nome da obra. O título original era: Stephen King’s The Lawnmower Man.

Para quem não se lembra da história, era sobre experiências de realidade virtual que fizeram uma pessoa com baixa capacidade mental se transformar numa espécie de deus virtual. A cobaia da experiência foi ganhando tanto “poder mental” que a coisa fugiu do controle. No final ele deixa seu corpo e vive totalmente no mundo virtual. O visual do filme com personagens em 3D era novidade para época também. (naquele tempo tudo que era 3D tinha que ter uns reflexos horríveis :), como pode ser visto nesta cena de “amor virtual”:

Que trajes tecnológicos hein? Roupa colante com luzes…

Mas o que quero falar aqui é sobre o jogo deste filme. Houveram várias versões, para vários consoles, mas me refiro ao de PC. Acho que foi um dos primeiros jogos em CD-ROM que loquei nas locadoras que existiam na época.

A versão em CD do jogo (para PC e Mega CD) era um filme interativo. Continha 22 minutos de filme (em pequenos trechos, com péssima qualidade), intercalados por cenas de jogo, não muito interativas. Já a versão em cartucho (para Mega Drive, SNES e Game Boy) era um jogo de plataforma, completamente diferente.

 O jogo era desgraçadamente difícil, e nem um pouco intuitivo.  Era quase um teste psicotécnico. Me lembro em uma parte onde o personagem caminha em um túnel virtual e era barrado por uma parede, com símbolos bizarros. O objetivo era selecionar alguns destes símbolos. Se demorasse muito morria, se errasse algum, morria. Tudo sem nenhum tipo de explicação. Depois de muito morrer (eu devia ter algum tempo livre na época para insistir num jogo tão fraco), descobri que era um teste de “símbolos que não seguiam a seqüência”. Ex: em uma coluna de 4 botões tinham 3 vogais e 1 consoante. (que era a que deveria ser marcada). Na outra coluna tinha outros símbolos estranhos, mas sempre um deles tinha alguma diferença. Seria tão mais fácil o jogo dizer “marque o diferente”… mas não. Tinha que usar o instinto em alguns segundos para aprender tudo na marra.

Depois vinham algumas cenas de ação, onde era preciso apertar para baixo ou para cima na hora certa, fazendo o personagem pular ou agachar (senão morte certa). Já em outras fases haviam vários outros puzzles de lógica. Mas tudo era muito frustrante e com animações terríveis (mas na época era tudo festa).

 lawnmower-man-jump

Então me lembro deste jogo até hoje, não por ele ser ótimo, mas por ser baseado em um filme “cult” de CG e ficção, além de ter cenas de filme, bem excitante para quem viveu a era pré CD-ROM. No fim a dificuldade extrema era um incentivo de seguir em frente até, mas se fosse hoje em dia não perderia meu tempo com algo tão pouco acessível. Não tem problema em ser difícil, o problema é não ter idéia do que fazer… e ser punido em segundos se não adivinhar…

lawnmower-man-mowed-over
Game Over…

Alguém mais jogou esta pérola da frustração ?

Aqui a versão SNES:

Quem mais se lembra de algum filme antigo que tinha jogo como núcleo da história ?

Ah! Lembrei de mais alguns:

“Jogos de Guerra” : Um jovem conecta acidentalmente seu computador ao sistema de defesa americano. O acidente provoca um estado de alerta, que pode acabar causando a Terceira Guerra Mundial.

“eXistenZ”: Este é um filme bem exótico, onde os videogames são criaturas vivas que se ligam aos jogadores através de “conectores” na forma de aberturas na base da coluna. Muito bizarro! Tem toda uma história de conspiração por trás disso.

eXistenZ: Isto ai é uma arma de carne que atira dentes… este filme é uma viagem…

 

Anúncios