Finalmente chegou, depois de um atraso absurdo, a minha cópia do livro – The Art of Game Design, A Book of Lenses; Jesse Schell.

 

Conforme tinha comentado antes, esta é a minha leitura atual. Vou fazer um review assim que acabar de ler, porém como o livro é bem encorpado (quase 500 páginas), resolvi falar um pouco dele agora mesmo. Afinal vai levar um bom tempo para ler e absorver todo o conteúdo, mas pelo pouco que li (uns 4 capítulos) já vale fazer um comercial prévio devido a sua qualidade. Quem sabe se alguém quiser embarcar nessa jornada influenciado pelas minhas palavras, já pode ir lendo nas férias e depois discutir comigo quando fizer a análise final da obra🙂 .

   

Se for o seu primeiro livro de gamedesign, talvez ele seja um pouco abstrato e muito inquisitivo, afinal o objetivo do livro é fazer o leitor pensar. Então se você já tiver uma bagagem de outros livros da área, pode ser mais fácil entender o que o autor quer dizer, o que ele quer questionar, apreciando melhor as idéias que com certeza surgirão durante a leitura.

Mas enfim, recomendo esta obra para todo mundo que estiver realmente interessando na arte abstrata e complexa de criar um jogo. Não só um jogo, mas uma experiência única, talvez inesquecível, para o jogador.

 

Afinal para fazer um jogo você irá precisar só de (como se fosse pouca coisa) programação, arte e som. Porém para criar uma experiência rica, que lhe cause imersão, satisfaça sua curiosidade, lhe capture num mundo paralelo e fascinante, com um resultado difícil de expressar em palavras de tão interessante, bem ai além do que já foi dito você irá precisar caminhar por terrenos mais exóticos como psicologia, antropologia, design de outras áreas e por ai em diante.

 

Este livro trata disso tudo, falando passo a passo de diversos campos ou ângulos de visão diferentes que precisamos considerar ao criar um jogo. Estas perspectivas novas para analisar o design do jogo o autor chama de lentes e durante o livro fala de 100 lentes diferentes, cada uma com um assunto ou tema específico para se pensar sobre, com questões relevantes.

 

Algumas destas lentes são mais abstratas, outras mais práticas. Alguns exemplos simples:

 

 Lente 32: Escolhas significativas:

Quando fizermos escolhas significativas em um jogo, isto irá gerar a sensação de que o que fazemos realmente importa. Então se pergunte:

 – Que escolhas estou pedindo que os jogadores façam?

 – Estes escolhas são significativas? Por quê?

 – Estou criando o número correto de escolhas para o jogador? Deveria haver mais (jogador se sente mais poderoso) ou menos (deixa o jogo mais limpo)?

 – Há alguma estratégia dominante no meu jogo ?

 —

 

Lente 84: Amizade: (especialmente para multiplayer, formação de comunidades,etc)

As pessoas adoram jogar com amigos. Para ter certeza que seu jogo tenha as qualidades corretas para permitir as pessoas fazer e manter amizades, se pergunte:

– Que tipo de amizades os meus jogadores buscam ?

– Como eu faço meus jogadores quebrarem o gelo?

– Meus jogadores tem oportunidades suficientes para falar com os outros?

– Quando é o momento que eles tornam-se amigos?

– Que ferramentas eu dou para os jogadores manterem a sua amizade?

 

 

 

Estas lentes abordam tudo, de sentimentos escondidos a regras puras de gamedesign, chegando à tecnologia, documentação etc. Não sei se os exemplos que coloquei aqui foram esclarecedores, mas as lentes são apresentadas no livro depois do autor falar bem sobre elas, então fica fácil entender pelo contexto e elas servem como mini resumos e questões sobre os assuntos abordados no livro. Ou seja, destas 100 lentes, dependendo do seu jogo, somente algumas podem ser úteis, outras podem ser excluídas, modificadas, etc. Mas passar por elas será ótimo para gerar idéias, lapidar e melhorar o seu design. Acredito que elas cobrem todos os aspectos possíveis para a criação de um jogo.

 

Outro material de apoio do livro é um baralho de cartas que contem as lentes, sendo que cada carta está ilustrada (vários artistas participaram deste projeto). Parece um baralho de magic ou outro jogo do tipo, mas é um baralho para gamedesign. Com isto em mãos, na hora de bolar seu jogo, será um grande auxilio para discutir com a equipe, ter e melhorar idéias próprias etc. Achei muito boa a idéia do baralho, deve ser útil e divertido criar com esta ferramenta em mãos. O preço é um pouco salgado U$29,95… Mas o autor me disse que se eu comprar pelo menos 5 baralhos ele consegue fazer por U$20,00 e frete grátis. Existem mais 4 pessoas por ai que querem comprar ?? Me avisem🙂 .

 

O livro em si já é um investimento considerável: em média U$50,00 (mais o frete de acordo com a empresa que comprar); claro que vale a pena, mas é um pouco mais caro que  outros livros da área.

(obs: não recomendo a a1books, revendedor autorizado da Amazon, pois atrasou em quase 2 meses a entrega para mim….)

 

Veja alguns exemplos do baralho no site oficial do livro. Aqui vão algumas cartas, mas no site tem mais:

 

Enfim é um ótimo livro, que não procura dar dicas prontas, mas lhe ensina a pensar sobre vários aspectos de gamedesign. Indo de questões práticas a filosóficas, são estes assuntos e reflexões que irão fazer a diferença entre um jogo bom e um jogo fantástico, fascinante, inesquecível. Se você estiver pronto para 500 páginas de questões que irão abrir a sua cabeça como um fruteiro abre uma melancia para degustação, então não pense duas vezes e não perca mais tempo ! Este livro tem tudo para ser referência no assunto, uma das mais modernas bíblias do gamedesign. Ah, e serve também para qualquer tipo de jogo, como o próprio autor fala no livro, mesmo que não seja digital as regras e filosofias são as mesmas. Se você estiver bolando um jogo de tabuleiro ou qualquer outro jogo não virtual, pode se beneficiar desta obra da mesma maneira.

 

Quando finalizar a leitura escreverei novamente, para confirmar se era tudo isso ou só estava empolgado com os primeiros capítulos🙂 . De qualquer forma, convido a todos interessados na área a avaliar este livro também, pois apesar dele tratar de coisas abstratas em alguns momentos, o texto sempre é direto e fácil de entender.

E certamente lhe deixará pensando… Afinal como disse Confúcio:

“Every truth has four corners: as a teacher I give you one corner, and it is for you to find the other three.”

Bom 2009 a todos !!