Um jogo não é um filme.

Muitos jogadores estão ansiosos pela ação do jogo, então se houver cutscenes (especialmente longas) é essencial que não seja obrigatório assistir, deve existir alguma maneira de “pular” e ir direto ao jogo.

Outra saída inteligente é criar um menu extra que permita assistir depois todas as cenas que já foram “destrancadas”, tanto para relembrar a história como rever alguma cena interessante.

Jogos que utilizam muitas cutscenes, uma atrás da outra, podem esfriar a imersão do jogador, que geralmente prefere estar sempre no comando do personagem, vivendo a ação.

Além disso, alguma forma de contar a história “in-game” é geralmente preferível.

Ex: Max Payne 1. Na primeira fase o jogador entre em casa e encontra sua mulher assassinada. Apesar desta visão ser brutal de qualquer forma, foi muito mais impactante viver esta situação ingame, jogando, do que somente assistir uma cutscene tradicional.

Ex2: Toda a série Half-Life conta sua história 100% ingame, em primeira pessoa, não há cutscenes que tirem o controle e a imersão do jogador.  Também não há tela especial de loading (é realizado de forma discreta, em setores).